A criação do Banco do Nordeste e o Congresso Nacional

momento de disputa inter e intra elites ou de consenso regional?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24302/drd.v10i0.2695

Resumo

O artigo analisa a reação do sistema político tradicional, mais especificamente da elite parlamentar brasileira, diante da proposição de criação do Banco do Nordeste do Brasil em 1959. Parte-se do pressuposto de que a futura instituição seria uma agência insulada de demandas clientelistas e corporativistas o que poderia minar as bases eleitorais sustentadas em relações personalistas. A partir do método posicional e da análise de documentos, investigou-se as tomadas de posição dos congressistas durante a tramitação no Congresso da referida proposta, tanto em suas falas no plenário da Câmara, quanto em seus depoimentos à imprensa. Como conclusão, a análise revelou que houve um consenso nacional em torno da nova instituição, para além de clivagens partidárias e regionais.

Palavras-Chave: Sistema Político. Elite Política. Parlamento. Região Nordeste. Desenvolvimento Regional.

Biografia do Autor

Alexandre Barbalho, Universidade Estadual do Ceará

Doutor em Comunicação e Cultura Contemporâneas (UFBA). Professor dos PPGs em Sociologia e em Políticas Públicas da Universidade Estadual do Ceará. Fortaleza. Ceará. Brasil.

Publicado

2020-04-23

Como Citar

Barbalho, A. (2020). A criação do Banco do Nordeste e o Congresso Nacional: momento de disputa inter e intra elites ou de consenso regional?. DRd - Desenvolvimento Regional Em Debate, 10, 161-174. https://doi.org/10.24302/drd.v10i0.2695

Edição

Seção

Artigos