O mercado de chocolate no sul da Bahia

estrutura, produção e comercialização

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24302/drd.v10i0.2373

Resumo

Apesar de ser um dos principais produtores de amêndoa de cacau no mundo durante o século XX, a incidência de crises na lavoura e maior concorrência mundial no final desse mesmo século tornaram a atividade cacaueira no Sul da Bahia pouco rentável. Nesse sentido, em meados dos anos 2000, produtores procuraram agregar valor à amêndoa e tornar a atividade menos sensível a crises internacionais, por meio da produção de chocolate com alto teor de cacau. Diante disso, este trabalho analisa a estrutura do mercado de chocolate no Sul da Bahia, identificando a quantidade de marcas, estratégias produtivas, comerciais e de marketing. O levantamento de dados foi feito em plataformas online e visitas técnicas, entre agosto de 2017 e julho de 2018, e submetidos à análise qualitativa e análise de correlação. Nesse período foram identificadas 50 marcas, concentradas nos municípios de Ilhéus, Itacaré e Salvador. A produção é majoritariamente Bean to Bar ou Tree to Bar com alto teor de cacau, explorando nichos de mercado orgânico, vegano e biodinâmico. A produção é, principalmente, de chocolate 56,6%, 70% e 80%, cujos maiores mercados destino são: Bahia, São Paulo e Rio de Janeiro. Há dificuldade na comercialização, pois esta costuma ser feita por meio de terceiros. O mercado caracteriza-se por uma estrutura de concorrência monopolista e muito dinâmica, em que surgem novas marcas com muita rapidez no mercado, pois em setembro de 2019 já se contabilizavam 74 marcas, um aumento de 48% no período de 14 meses.

Palavras-chave: Cacau. Brasil. Chocolate. Produção.

Biografia do Autor

Paulo César Cruz Dantas, Universidade Estadual de Santa Cruz

Discente de Engenharia de Produção. Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas, Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). Campus Soane Nazaré de Andrade. Ilhéus. Bahia. Brasil.

Mônica De Moura Pires, Universidade Estadual de Santa Cruz

Doutora em Economia Rural. Docente no Mestrado em Economia Regional e Políticas Públicas, Departamento de Ciências Econômicas, Universidade Estadual de Santa Cruz – Uesc, Campus Soane Nazaré de Andrade. Ilhéus. Bahia. Brasil.

Ana Paula Trovatti Uetanabaro, Universidade Estadual de Santa Cruz

Doutora em Ciência de Alimentos. Docente no Programa de Pós-graduação em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação, Departamento de Ciências Biológicas, Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Campus Soane Nazaré de Andrade Ilhéus. Bahia. Brasil.

Andrea da Silva Gomes, Universidade Estadual de Santa Cruz

Doutora em Desenvolvimento Rural. Docente no Mestrado em Economia Regional e Políticas Públicas, Departamento de Ciências Econômicas, Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Campus Soane Nazaré de Andrade. Ilhéus. Bahia. Brasil.

Ana Carolina Pereira Novaes, Universidade Estadual de Santa Cruz

Mestre em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia. Programa de Pós-graduação em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação - PROFNIT/UESC. Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Campus Soane Nazaré de Andrade. Ilhéus. Bahia. Brasil.

Publicado

2020-01-08

Como Citar

Dantas, P. C. C., Pires, M. D. M., Uetanabaro, A. P. T., Gomes, A. da S., & Novaes, A. C. P. (2020). O mercado de chocolate no sul da Bahia: estrutura, produção e comercialização. DRd - Desenvolvimento Regional Em Debate, 10, 56-75. https://doi.org/10.24302/drd.v10i0.2373

Edição

Seção

Artigos