Proposta de Dossiê : Agricultura familiar e desenvolvimento regional no Sul do Brasil: análises a partir dos dados do Censo Agropecuário 2017

2021-05-05

Proposta de Dossiê - Revista Desenvolvimento Regional em debate – UnC

Proposta de Dossiê : Agricultura familiar e desenvolvimento regional no Sul do Brasil: análises a partir dos dados do Censo Agropecuário 2017

 

Editores:

Profa. Dra. Anelise Graciele Rambo - UFRGS/PPGREDES

Prof. Dr. Marcelo Antônio Conterato - UFRGS/PGDR

Profa. Dra. Maria de Lourdes Bernartt - UTFPR/PPGDR

Prof. Dr. Marcio Gazolla - UTFPR/PPGDR (Coordenador)

Pesquisador Dr. Eric Sauborin - CIRAD/ART-Dev, França

 

Contexto e justificativas:

O IBGE divulgou os dados finais do Censo Agropecuário de 2017 de forma online no SIDRA (Sistema de Recuperação Automática de Dados), consistindo na maior fonte formal de estatísticas dos espaços rurais e da agricultura brasileira. O Censo traz dados da agricultura familiar (AF) e da não familiar (ANF), que podem ser explorados em análises científicas e dos processos de desenvolvimento dos espaços rurais e regiões brasileiras. Além disso, o Censo apresenta uma série de outros indicadores que podem ser usados em cruzamentos e estudos comparativos destas duas formas de agricultura, conforme descrito, abaixo, nos tópicos a respeito dos quais o dossiê pretende estimular estudos entre pesquisadores.

Há também uma preocupação do próprio IBGE, já manifestada em espaços públicos de debates, também compartilhada por pesquisadores usuários constantes do recenseamento, de que este poderá ser o último Censo da história do país, dado aos seus elevados custos e pouca utilização das estatísticas em pesquisas, planejamentos, formulação de políticas públicas, entre outras utilizações que os dados do Censo permitem.

Nestes termos e, em função do momento histórico vivido, no campo dos estudos sobre as formas ou tipos de agricultura familiar e sobre o rural como um todo, a pandemia SAR COVID-19 tornou imperativo o uso de dados secundários, haja visto que trabalhos de campo estão “temporariamente” suspensos, tais como entrevistas presenciais. Além disso, e,  a título de exemplo, os dados presentes nos Censos Agropecuários, produzidos e publicados pelo IBGE,  devem ser valorizados e esmiuçados, uma vez que, por serem altamente confiáveis retratam as principais características da agricultura brasileira como nenhuma outra fonte de pesquisa, permitem recortes temporais, regionais e temáticos (observadas as mudanças metodológicas ao longo do tempo) e, conforme já indicado, são fruto de volumosos recursos públicos, embora pequena parcela da sociedade saiba disso e usufrua dos seus resultados.

Não menos importante é o avanço do tempo e a inevitável defasagem dos dados. Por isso, o estudo minucioso e com técnicas e métodos estatísticos robustos dos dados do Censo Agropecuário 2017 apresenta-se como algo de extrema importância para o momento que se vivencia. Assim, considera-se muito importante a proposição de dossiês como este para dar visibilidade e ressaltar a importância das realizações dos Censos Agropecuários à sociedade brasileira, no meio científico e para o próprio Estado brasileiro (executor dos censos e propositor de ações e políticas públicas).

Por fim, a ideia do dossiê é que os trabalhos submetidos partam obrigatoriamente da análise dos dados e indicadores sobre a agricultura familiar do Censo Agropecuário de 2017, na Região Sul do país, mas não se restrinjam somente a estes. Além do uso das estatísticas censitárias, pode-se complementar as discussões e análises desenvolvidas com outras investigações que estejam em curso ou já concluídas, cujos resultados não tenham sido ainda publicizados, como resultados de projetos de pesquisa, teses, dissertações, entre outros estudos.

 

Objetivos:

Analisar os dados do Censo Agropecuário 2017 do IBGE sobre a agricultura familiar, relacionando-os com os processos de desenvolvimento regional do Sul do país;

Realizar análises sobre a agricultura familiar (AF) cruzando esta variável com outros indicadores censitários, desenvolvendo estudos comparativos entre os três estados do Sul;

Desenvolver análises `mixando´ os indicadores censitários sobre agricultura familiar com outros dados e informações provenientes de estudos empíricos e de casos que os pesquisadores já estão desenvolvendo;

 

Temas e tópicos com preferência na recepção de artigos:

Temas gerais do dossiê:

- Perfil da agricultura familiar nos três estados (um texto por estado que retrate o perfil dos AFs com base nos principais indicadores censitários);

- Estudos comparados de indicadores do Censo entre os três estados da Região Sul;

- Construção de tipologias de agricultores familiares por estado e entre os três estados da Região Sul;

 

Temais específicos do dossiê:

- Agroindústria rural;

- Agricultura orgânica;

- Consumo intermediário e despesas;

- Financiamento e crédito rural;

- Assistência técnica e extensão rural;

- Educação no campo;

- Mulheres rurais e gênero;

- Cooperativismo;

- Receitas, atividades não agrícolas e pluriatividade;

- Outros indicadores relevantes a serem analisados pelos Editores do dossiê.

 

Cronograma e datas importantes:

   

Lançamento e divulgação do dossiê

Maio de 2021

Submissões dos artigos

De 01 junho a 31 de agosto de 2021

Avaliação dos artigos

Setembro e outubro de 2021

Editoração dos artigos e correções das provas finais

Novembro de 2021

Publicação do dossiê

Dezembro de 2021