Contradições do discurso político entre a liberdade de expressão e o ódio

Daniel Arruda Nascimento, Isabela Bichara de Souza Neves

Resumo


Motivadas pela necessidade de se colocar em pauta análises sobre a atual realidade política do nosso país, as presentes linhas visam explorar as contradições do discurso político em evidência, especialmente no que diz respeito à relativamente recente proliferação do discurso de ódio entre nós. Não apenas no nosso cotidiano politizado às avessas, tornado espetacular, de identidades cultivadas na falsidade, visivelmente indigente no que se refere à capacidade de reflexão. Interessa-nos aqui, sobretudo, o discurso de ódio parlamentar, o discurso de ódio que encontra ressonância e expressão entre os representantes eleitos para fazer justiça à vontade popular no Congresso Nacional. Submetendo à acareação o reconhecimento do direito à liberdade de expressão, a garantia constitucional de imunidade parlamentar e a proliferação dos discursos de ódio com efeitos discriminatórios, teremos como propósito colocar a questão de modo transversal e inteligível. Não faltam exemplos de ódios incrustados em falas de parlamentares durante o exercício de seus mandatos eletivos, acompanhadas do incentivo à propagação da intolerância e do racismo, com a perpetuação da opressão contra cidadãos e grupos minoritários.

Palavras-chave


Política. Liberdade de expressão. Imunidade parlamentar. Discurso de ódio.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.24302/prof.v4i1.1465

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSNe 2358-6125