Economia da cultura

uma possibilidade de desenvolvimento regional para o estado de Goiás

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24302/drd.v9ied.%20esp..2128

Resumo

Este artigo aborda as relações econômicas e profissionais no campo da cultura e sua relação com o desenvolvimento regional do estado de Goiás. Pesquisas bibliográficas e documentais apontam melhoria de investimentos públicos na área cultural e artística do estado. Esses investimentos provocaram uma significativa melhoria nos indicadores socioeconômicos das cidades com vocação cultural e turística. Em 2016, a Economia Criativa representou aproximadamente 2,6% do PIB Brasileiro além de apresentar um crescimento de cerca de 70% nos últimos dez anos. Quanto mais investimento público ou privado neste novo segmento econômico, menor é o fluxo migratório de pessoas em busca de serviços públicos em grandes aglomerações urbanas. Em suas várias linguagens e modalidades, a cultura se tornou um bem simbólico tangível e capaz de gerar renda e empregos, contribuindo para o desenvolvimento social, humano e sustentável. O objetivo deste artigo é discutir como se relacionam as dinâmicas da globalização da economia e o papel desempenhado nas economias locais. A Economia da Cultura movimenta uma gama de serviços articulando desenvolvimento e profissionalização. Nesse cenário, o incentivo de políticas públicas culturais às cidades firma-se como uma boa estratégia de crescimento e de geração de emprego, além de gerar um clima de criatividade, empreendedorismo, negócios e serviços que alavancam o surgimento de polos de inovação nos territórios.

Palavras-Chave: Economia da Cultura. Profissionalização. Desenvolvimento Regional.

Biografia do Autor

Aline Tereza Borghi Leite, Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Graduada em Ciências Sociais e Relações Internacionais. Mestre e Doutora em Sociologia. Professora do Programa de Mestrado em Desenvolvimento e Planejamento Territorial da PUC Goiás. Coordenadora do curso de graduação de Relações Internacionais da PUC-GO. Pontifícia Universidade Católica de Goiás.

Juliano de Castro Silvestre, Instituto Tecnológico do Estado de Goiás em Artes Basileu França

Graduado em Administração. Mestre em Desenvolvimento e Planejamento Territorial pela PUC-GO. Especialista em Marketing e em Docência Universitária. Professor do Instituto Tecnológico do Estado de Goiás em Artes Basileu França. Instituto Tecnológico do Estado de Goiás em Artes Basileu França.

Publicado

2019-05-16

Como Citar

Leite, A. T. B., & Silvestre, J. de C. (2019). Economia da cultura: uma possibilidade de desenvolvimento regional para o estado de Goiás. DRd - Desenvolvimento Regional Em Debate, 9(ed. esp.), 126-142. https://doi.org/10.24302/drd.v9ied. esp.2128