Estrutura financeira empresas ramo de calçados

determinantes entre o modelo tradicional liquidez e modelo dinâmico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24302/agora.v25i0.2919

Resumo

A indústria de calçados no mercado brasileiro é composta por 7,7 mil empresas, ocupa o terceiro lugar mundial em produção e o quarto lugar mundial como mercado consumidor. Neste contexto, esta pesquisa tem por objetivo analisar e avaliar os resultados financeiros de quatro organizações de capital aberto do ramo de calçados por meio dos balanços patrimoniais do período de 2012 a 2016 publicados no site da Comissão de Valores Mobiliários. O trabalho foi desenvolvido com base nos cálculos e análise de índices de liquidez do modelo tradicional e do modelo dinâmico. O modelo dinâmico exigiu primeiramente a reclassificação das contas do balanço patrimonial para que fossem calculados os índices base do modelo com os quais foi identificada a estrutura que representa o nível de risco financeiro de cada organização. Esta pesquisa buscou apresentar uma análise conjunta entre o modelo tradicional de liquidez e o modelo dinâmico para que sejam tomadas ações que busquem o equilíbrio financeiro das organizações tanto no curto como no longo prazo. A metodologia aplicada na pesquisa realizada foi caracterizada como do tipo descritiva, pois buscou descobrir a existência de associações e comportamentos dos índices financeiros calculados no período analisado, sendo análise de liquidez no método tradicional e no método dinâmico. De acordo com o resultado da pesquisa foram identificadas três estruturas e situações financeiras segundo a classificação proposta no modelo dinâmico, sendo elas: situação sólida, para a empresa Grendene, insatisfatória, para a empresa Alpargatas e péssima para as empresas Cambuci e Vulcabrás. Foi apresentado um quadro resumo para comparação da estrutura e situação financeira bem como o ranking considerando o índice que cada empresa utilizou de seus recursos de curto prazo para financiar seus investimentos de longo prazo.

Palavras-chaves: Estrutura Financeira. Ramo Calçados. Modelo Tradicional. Modelo Dinâmico.

Biografia do Autor

Jose Roberto de Souza Francisco, Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Ciências Econômicas

Doutor em Finanças - CEPEAD/FACE/UFMG. Professor Adjunto Departamento de Ciências Contábeis e Controladoria & Finanças Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Ciências Econômicas. Belo Horizonte. Minas Gerais. Brasil.

Amauri Santos Rocha, Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Ciências Econômicas

MBA - Especialista em Finanças Empresariais - CEPEAD/FACE/UFMG. Profissional de Mercado. Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Ciências Econômicas. Belo Horizonte. Minas Gerais. Brasil.

Hudson Fernandes Amaral, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Doutor Sciences de Gestion. Université Pierre Mendés France Grenoble II França, ESA, França. Professor Titular Centro Universitário Unihorizontes. Belo Horizonte. Minas Gerais. Brasil.

Publicado

2020-09-15

Como Citar

Francisco, J. R. de S., Rocha, A. S., & Amaral, H. F. (2020). Estrutura financeira empresas ramo de calçados: determinantes entre o modelo tradicional liquidez e modelo dinâmico. Ágora : Revista De divulgação científica, 25, 92-111. https://doi.org/10.24302/agora.v25i0.2919

Edição

Seção

Artigos