A Erva-Mate no Planalto Norte Catarinense: os compostos bioativos como variável na determinação das especificidades necessárias ao reconhecimento como Indicação Geográfica

Autores

  • Damaris Aparecida de Cassia Krul Pires Universidade do Contestado – UnC, Campus de Canoinhas-SC
  • Daniela Pedrassani Universidade do Contestado
  • Valdir Roque Dallabrida Universidade do Contestado.
  • Eliziane Luiza Benedetti IFSC/Campus Canoinhas

DOI:

https://doi.org/10.24302/drd.v6i2.1212

Palavras-chave:

Erva-mate. Adubação. Fenólicos. Metilxantinas.

Resumo

Historicamente, a erva-mate (Ilex paraguariensis St. - Hil) tem sido um dos principais produtos agrícolas da região sul do Brasil e, atualmente, representa espécie de grande potencial econômico, social e ecológico. Há evidências do potencial protetor à saúde por meio do consumo de bebidas à base de erva-mate. Os efeitos benéficos à saúde são atribuídos aos compostos bioativos, cuja concentração pode modificar dependendo de variáveis genéticas, ambientais e tecnológicas, incluindo o cultivo e processamento. Características da erva mate (nativa ou plantada) possibilitam seu cultivo tanto a pleno sol quanto em sombreamento, com ou sem algum tipo de adubação. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar a erva-mate coletada em ervais do município de Irineópolis, na região do Planalto Norte Catarinense, produzida em diferentes sistemas de cultivo, com variáveis níveis de intensidade luminosa em condições naturais, a fim de identificar possíveis variações nos teores de compostos fenólicos e metilxantinas. Teve-se como hipótese de estudo a de que as especificidades dos ervais possam ser um subsídio justificável, como forma de agregação de valor da matéria prima e valorização dos recursos naturais, e que possa contribuir para o reconhecimento do produto como Indicação Geográfica (IG). Os resultados demonstraram que, em relação as plantas não adubadas; nas com a adição de adubação orgânica, houve aumento nos teores dos compostos fenólicos e de metilxantinas, influenciando positivamente para a produção de erva-mate nativa em áreas de caívas. Esse aspecto pode favorecer a produção de matéria prima diferenciada, conforme exigências do mercado consumidor, e ser uma variável do produto como IG.

Biografia do Autor

Damaris Aparecida de Cassia Krul Pires, Universidade do Contestado – UnC, Campus de Canoinhas-SC

Farmacêutica Mestranda do Programa de Mestrado em Desenvolvimento Regional da Universidade do Contestado – UnC, Campus de Canoinhas-SC

Daniela Pedrassani, Universidade do Contestado

 

Professora do Depto de Medicina Veterinária/UnC Canoinhas

Professora do Programa de Mestrado em Desenvolvimento Regional - UnC.

Valdir Roque Dallabrida, Universidade do Contestado.

Docente do Programa de Mestrado em Desenvolvimento Regional - UnC.

Eliziane Luiza Benedetti, IFSC/Campus Canoinhas

Pós-Doutoranda do Programa de Mestrado em Desenvolvimento Regional- UnC.

Publicado

2016-07-22

Como Citar

Pires, D. A. de C. K., Pedrassani, D., Dallabrida, V. R., & Benedetti, E. L. (2016). A Erva-Mate no Planalto Norte Catarinense: os compostos bioativos como variável na determinação das especificidades necessárias ao reconhecimento como Indicação Geográfica. DRd - Desenvolvimento Regional Em Debate, 6(2), 207-227. https://doi.org/10.24302/drd.v6i2.1212