Megaeventos no Rio de Janeiro:

uma reflexão sobre justiça e custo humano

Autores

  • Diogo Pinheiro Justino Instituto de Pesquisa, Direitos e Movimentos sociais

DOI:

https://doi.org/10.24302/prof.v8.2271

Resumo

A partir das desigualdades produzidas em volta dos megaeventos ocorridos no Rio de Janeiro, este artigo propõe uma reflexão sobre a invisibilidade daqueles que vivem a “exceção como regra” (a tradição dos oprimidos, de uma perspectiva benjaminiana, retomada por Agamben). Importa para nós, pensar sobre os vitimados pelo processo de transformação da cidade e de como são afetados pela lógica perversa do desenvolvimento e do progresso, bem como as estratégias biopolíticas de controle da vida que se misturam ao tecido social responsáveis pela perpetuação da barbárie. Neste artigo falaremos sobre a importância de ser rompida a lógica da justificação do custo humano, isto é, das injustiças realizadas aos excluídos em prol de melhorias para uma parcela privilegiada da população. Abordaremos também as diversas formas de lutas e resistências postas em prática que impuseram derrotas ao consórcio Estado-Mercado de administração da exceção no Rio de Janeiro.

Palavras-chave: Megaeventos. Exceção. Invisibilidade.

Biografia do Autor

Diogo Pinheiro Justino, Instituto de Pesquisa, Direitos e Movimentos sociais

Graduado em Direito pela Faculdade Evandro Lins e Silva (IBMEC), Mestrado e Doutorado em Teoria e Filosofia do Direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, com período sanduíche no Consejo Superior de Investigaciones Científicas (Espanha). Coordenador do GT Direito, Memória e Justiça de Transição do IPDMS (Instituto de pesquisa, direitos e movimentos sociais). Rio de Janeiro. Brasil.

Downloads

Publicado

2021-07-26

Como Citar

Justino, D. P. (2021). Megaeventos no Rio de Janeiro:: uma reflexão sobre justiça e custo humano. Profanações, 8, 232–254. https://doi.org/10.24302/prof.v8.2271

Edição

Seção

Artigos