O PERFIL SÓCIO-DEMOGRÁFICO E PATOLÓGICO DE GESTANTES E PUÉRPERAS ADMITIDAS NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DE UM HOSPITAL DO OESTE CATARINENSE

Autores

  • Francieli Cecconello Universidade do Contestado
  • Lucimare Ferraz UNOCHAPECÓ

DOI:

https://doi.org/10.24302/agora.v17i1.44

Palavras-chave:

Unidade de terapia intensiva, Gestante, Puérpera

Resumo

Introdução:Toda gestação traz em si algum risco para a mãe ou para o feto.A chance de uma mulher, durante o ciclo grávido-puerperal, ser admitida em uma unidade de terapia intensiva é bem maior que a de uma mulher jovem, não grávida. Estima-se que 0,1% a 1,9% das gestantes desenvolvem complicações, requerendo o internamento na unidade de terapia intensiva, sendo as principais indicações hipertensão, hemorragia, insuficiência respiratória e sepsis. Objetivo: conhecer o perfil sócio-demográfico de gestantes e puérperas na UTI geral de um hospital regional da cidade de Chapecó. Metodologia: pesquisa empregada foi de natureza quantitativa – documental através da análise de prontuários de pacientes internadas na UTI no período de maio de 2006 a maio de 2007, onde foram observadas as variáveis: sócio-demográficas, gestacionais, puerperais e de hospitalização. Resultados: Dentre os achados, constatou-se que 10 mulheres no ciclo gravídico-puerperal foram admitidas na UTI, sendo que 44% eram adolescentes. Constatamos que entre as causas de internações, a eclampsia o que representou 66% das admissões. Averiguamos que a média de hospitalização dessas mulheres foi de 1,6 dias e, foi constatado apenas um óbito, sendo que as demais obtiveram alta. Conclusão: Através dos resultados obtidos com este estudo verificamos que o número de internações de mulheres durante o ciclo gravidico-puerperal na unidade de tratamento intensiva é fato constante, uma vez que num período de um ano foram constatadas 10 admissões no Hospital Regional do Oeste. Portanto, ressaltamos que a equipe multidisciplinar e, principalmente, de enfermagem, atuante na unidade de terapia intensiva, deve estar buscando continuamente o aperfeiçoamento técnico-científico, desenvolvendo um cuidado humanizado frente as mais diversas situações que envolvem o binômio mãe/filho.

Biografia do Autor

Francieli Cecconello, Universidade do Contestado

Enfermeira, especialista em U.T.I. pela UnC.

Lucimare Ferraz, UNOCHAPECÓ

Enfermeira, mestre em Saúde Coletiva do Docente do Curso de Enfermagem da UNOCHAPECÓ.

Como Citar

Cecconello, F., & Ferraz, L. (1). O PERFIL SÓCIO-DEMOGRÁFICO E PATOLÓGICO DE GESTANTES E PUÉRPERAS ADMITIDAS NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DE UM HOSPITAL DO OESTE CATARINENSE. Ágora : Revista De divulgação científica, 17(1), p. 71-78. https://doi.org/10.24302/agora.v17i1.44

Edição

Seção

Artigos