AVALIAÇÃO DA ADAPTAÇÃO DE Calophyllum brasiliensis Cambess. (GUANANDI), FAMÍLIA CLUSIACEAE, NO PLANALTO NORTE CATARINENSE

Autores

  • Maicon Diego Duffecky Universidade do Contestado
  • Luiz Cláudio Fossati Universidade do Contestado

DOI:

https://doi.org/10.24302/agora.v16i2.35

Palavras-chave:

Avaliação, Guanandi, Planalto norte catarinense

Resumo

Este trabalho teve por objetivo avaliar o crescimento e dano por geada do Calophyllum brasiliensis Cambess (Guanandi) em duas situações: livre (a pleno sol) e consorciado com Eucalyptus dunnii, possibilitando avaliar o desenvolvimento da espécie na região. O guanandi ocorre em todos os estados brasileiros, subindo pela América Central até o México. Planta perenifólia, heliófita ou luz difusa, característica e exclusiva das florestas pluviais localizadas sobre solos úmidos e brejosos. O guanandi (Calophyllum brasiliensis) é uma madeira de lei, espécie rara e em extinção, assim não pode suprir futuramente a demanda de madeira. A preocupação é se o Guanandi (Calophyllum brasiliensis) adaptar-se-á às condições climáticas do Planalto Norte Catarinense. Para a implantação do projeto foram utilizados 96 mudas de Guanandi, sendo 2 tratamentos com 48 mudas respectivamente. O tratamento do plantio a pleno sol, em 4 repetições (carreiras) de 12 mudas, cada repetição respectivamente, e, as outras 48 foram plantadas em local sombreado (consorciado com Eucalyptus dunnii), com 4 repetições (carreiras)  com 12 mudas por repetição. O tratamento a pleno sol sempre teve o crescimento médio das alturas e diâmetro do colo maior que o tratamento consorciado com Eucalyptus dunnii. As mudas que estavam a pleno sol cresceram mais, mas tiveram maior dano por geada. As mudas de consórcio com Eucalyptus dunnii cresceram menos, mas apresentaram maior resistência à geada, pois as mudas de guanandi estavam protegidas. Procedeu-se o Teste-t: duas amostras em par para médias, para o diâmetro do colo, apenas na ultima medição houve diferença estatística devido à mais disponibilidade de insolação ao redor das plantas, fazendo com que o crescimento cambial fosse mais desenvolvido. Para a altura das mudas de guanandi, na quinta medição houve diferença significativa, pois o fotoperiodismo estava mais curto na última medição. Os dados iniciais de crescimento em altura e diâmetro do colo, permitem concluir que essa espécie pode adaptar-se na região, necessitando de mais estudos referente à resistência a geadas.

Biografia do Autor

Maicon Diego Duffecky, Universidade do Contestado

Acadêmico do curso de Engenharia Florestal pela UnC Campus Canoinhas

Como Citar

Duffecky, M. D., & Fossati, L. C. (1). AVALIAÇÃO DA ADAPTAÇÃO DE Calophyllum brasiliensis Cambess. (GUANANDI), FAMÍLIA CLUSIACEAE, NO PLANALTO NORTE CATARINENSE. Ágora : Revista De divulgação científica, 16(2), p. 14-27. https://doi.org/10.24302/agora.v16i2.35

Edição

Seção

Artigos