Helmintos em áreas de lazer de centros de educação infantil do município de Canoinhas, Santa Catarina

Autores

  • Thiago Fuchs Universidade do Contestado - UnC
  • Daniela Pedrassani Universidade do Contestado - UnC
  • Rui Branco Universidade do Contestado - UnC

DOI:

https://doi.org/10.24302/agora.v18i1.278

Palavras-chave:

Centros de educação infantil, Zoonoses, Ancylostoma

Resumo

Os animais de companhia desempenham importante papel nas sociedades, pois contribuem para o desenvolvimento físico, social e emocional de crianças e para o bem estar de seus proprietários. Entretanto, a vivência constante dos cães e gatos junto ao homem é uma possível causa de transmissão de agentes zoonóticos, e a permanência destes em locais públicos e até mesmo nas residências, pode ocasionar a contaminação do ambiente. Áreas de lazer com areia são frequentemente utilizadas na educação infantil. Porém, elas podem estar contaminadas por fezes de cães e gatos e desse modo podem predispor as crianças que as usam à aquisição de diversas zoonoses. Desse modo esse trabalho visa verificar a presença de ovos/ larvas de helmintos em áreas de lazer de Centros de Educação Infantil do município de Canoinhas-SC, verificando o potencial zoonótico dos parasitas observados. Foram analisados todos os seis CEI’s do município que possuíam áreas de lazer com areia, nos quais foram realizadas quatro coletas uma em cada estação do ano. As amostras foram analisadas pelos métodos de Hoffmann, Pons e Janer (1934), Faust e colaboradores (1939) e Rugai, Mattos e Brizola (1954) modificado. As areias de quatro CEI’s foram positivas para Ancylostoma spp., Strongyloides spp. e ovos de Ascaris. Desses, o Ancylostoma spp e o Strongyloides spp. tem potencial zoonótico. Dos seis CEI’s, na primavera 66,66% (4/6) das amostras de areia foram positivas, no verão e inverno 16,67% (1/6) das amostras de areia foram positivas e no outono todas foram negativas. A estação do ano não teve influência no percentual de positividade das amostras (p=0,046). Ao comparar o número de resultados positivos obtidos nas diversas coletas, os métodos de Hoffmann, Pons e Janer e Rugai, Mattos e Brizola, foram os que detectaram maior número de amostras positivas com valores de p=0,047 e p=0,026, respectivamente. As informações fornecidas para as direções dos CEI’s são de grande importância, pois assim podem-se propor medidas para melhorar o ambiente onde as crianças frequentam, diminuindo a possibilidade de transmissão de zoonoses para os usuários das áreas de lazer.

Biografia do Autor

Thiago Fuchs, Universidade do Contestado - UnC

Acadêmico do curso de Medicina Veterinária da Universidade do Contestado - UnC

Daniela Pedrassani, Universidade do Contestado - UnC

Médica Veterinária, Professora orientadora do curso de Medicina Veterinária da Universidade do Contestado - UnC. Campus Canoinhas

Rui Branco, Universidade do Contestado - UnC

Mestre. Engenheiro Agrônomo, Professor da Universidade do Contestado.

Publicado

2013-04-15

Como Citar

Fuchs, T., Pedrassani, D., & Branco, R. (2013). Helmintos em áreas de lazer de centros de educação infantil do município de Canoinhas, Santa Catarina. Ágora : Revista De divulgação científica, 18(1), 163-176. https://doi.org/10.24302/agora.v18i1.278

Edição

Seção

Artigos