Avaliação do estado de conservação de nascentes localizadas em áreas rurais do município de Itaiópolis, SC

Autores

  • Ana Paula Palivoda Universidade do Contestado
  • Maristela Povaluk Universidade do Contestado

DOI:

https://doi.org/10.24302/sma.v4i1.609

Palavras-chave:

Nascentes. Área de Preservação Permanente. Análise de água.

Resumo

Esta pesquisa teve por finalidade avaliar o estado de conservação de nascentes localizadas na área rural do município de Itaiópolis, SC. Foi verificada a Área de Preservação Permanente das nascentes em conformidade com a Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012, que prevê um raio mínimo de 50 metros de largura de vegetação. Sendo avaliados os fatores positivos e negativos da área adjacente a nascente. Alem desses aspectos constatou-se a utilização da água das nascentes para consumo humano, foi analisada a influência dos metais pesados correlacionados com a agricultura, e a indicação de coliformes na água. Finalmente foi diagnosticada a qualidade da água de três nascentes para consumo humano. Primeiramente foram efetuadas pesquisas bibliográficas, posteriormente foram realizadas pesquisas de campo com verificação in loco e pesquisa laboratorial. Através da análise dos dados das onze nascentes avaliadas, constatou-se que o estado de conservação das mesmas é crítica, onde somente 9% delas estão conservadas, 36% perturbadas e 55% degradadas. Quanto a conformidade com a Lei Florestal somente 9% estão de acordo com a lei. Foi possível constatar que a água das nascentes é um recurso altamente utilizado para consumo humano onde 64% das que foram avaliadas são utilizadas. As análises das águas das nascentes, evidenciaram que os metais pesados correlacionados com agricultura não interferem na qualidade da água, porém a indicação de coliformes totais em duas das três amostras de águas. Portanto, somente uma delas atende as especificações da Portaria MS Nº 2914 do Ministério da Saúde de 12 de dezembro de 2011. Desta maneira constatou-se que a principal causa da degradação das nascentes é a interferência humana e a falta de vegetação para protegê-la. Sendo necessário tomar atitudes para conservar as preservadas e recuperar as degradadas, afinal quando se extingue uma nascente é um curso d’água que desaparece, recurso este indispensável à vida.

 

 

Biografia do Autor

Ana Paula Palivoda, Universidade do Contestado

Graduada em Ciências Biológicas, Universidade do Contestado. Campus Mafra, Santa Catarina Brasil.

Maristela Povaluk, Universidade do Contestado

Coordenadora do curso de ciencias Biologicas. Professora Orientadora da Universidade do Contestado. Campus Mafra. Mestre em Educação Ensino Superior (FURB). Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Brasil (2013).

Publicado

2015-07-06

Como Citar

Palivoda, A. P., & Povaluk, M. (2015). Avaliação do estado de conservação de nascentes localizadas em áreas rurais do município de Itaiópolis, SC. Saúde E Meio Ambiente: Revista Interdisciplinar, 4(1), 17-31. https://doi.org/10.24302/sma.v4i1.609

Edição

Seção

Artigos