O conhecimento de jovens frente as IST no município de Nhamundá – AM

Autores

  • Cleane Souza Duque Faculdade Estácio do Amazonas
  • Luana Cardoso Faculdade Estácio do Amazonas
  • Luiz Rodrigues Lima Universidade Federal do Amazonas
  • João Viriato Mazalo Universidade Lúrio
  • Bruno Mori Universidade Federal do Amazonas

DOI:

https://doi.org/10.24302/sma.v9i0.2155

Resumo

Os adolescentes estão iniciando sua vida sexual cada vez mais cedo. A adolescência é uma fase caracterizada pela faixa etária de 12 a 18 anos, repleta de descobertas e vulnerabilidades, onde ocorre à expressão própria de escolha individual e questionamentos perante a sociedade, relacionado ao conhecimento do próprio corpo, relações sexuais, uso de drogas e consequentemente exposição às infecções sexualmente transmissíveis (IST). Neste contexto, idealizou-se este estudo com o objetivo de avaliar o grau de conhecimento dos jovens frente às Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) no município de Nhamundá/Am.  Trata-se de um estudo descritivo, observacional de caráter quantitativo com amostra de 40 (quarenta) adolescentes regularmente matriculados no 8º e 9º ano do ensino fundamental da Escola Estadual Professor Gilberto Mestrinho, no período entre agosto a setembro de 2015. Os dados foram coletados com auxílio de questionário sobre o conhecimento dos jovens em relação à sexualidade, e utilizou-se a estatística descritiva para análise dos dados. Nos resultados constatou-se que dos 40 adolescentes participantes do estudo, quando questionados se conheciam os métodos de prevenção das IST, a opção respondida por 70% (28) dos alunos foi de: não possuir conhecimentos e apenas 30% (12) alunos responderam: possuir conhecimentos sobre a prevenção e que, entretanto, a falta do diálogo com os pais sobre a vida sexual, foi apontado como o principal motivo de desconhecimento sobre às IST p<0.09172*. Assim, conclui-se que existe ausência de conhecimentos básicos e indispensáveis para prevenir as IST na maioria dos alunos que participaram da entrevista, resultante da falta de diálogo familiar, educação sexual ou até mesmo timidez do próprio adolescente em abordar o assunto.

Palavras-chaves: Adolescente. Doenças sexualmente transmissíveis. Saúde do adolescente.

Biografia do Autor

Cleane Souza Duque, Faculdade Estácio do Amazonas

Enfermeira, Faculdade Estácio Amazonas.

Luana Cardoso, Faculdade Estácio do Amazonas

Enfermeira, Faculdade Estácio do Amazonas, Especialista em Saúde Pública.

Luiz Rodrigues Lima, Universidade Federal do Amazonas

Nutricionista, Especialista em Saúde Pública, Mestrando em Imunologia Básica e Aplicada. Universidade Federal do Amazonas (UFAM PPGIBA). Amazonas. Brasil.

João Viriato Mazalo, Universidade Lúrio

Mestrando do Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) Brasil. Graduado em Optometria com ênfase em Saúde Pública pela Universidade Lúrio. Docente no Curso de Licenciatura em Optometria na Universidade Lúrio em Moçambique, campus Marrere, Nampula – Moçambique.

Bruno Mori, Universidade Federal do Amazonas

Mestre em Biologia Urbana/UNL, Doutorando em Imunologia Básica e Aplicada, Universidade Federal do Amazonas (PPGIBA-UFAM). Amazonas. Brasil.

Publicado

2020-04-02

Como Citar

Duque, C. S., Cardoso, L., Lima, L. R., Mazalo, J. V., & Mori, B. (2020). O conhecimento de jovens frente as IST no município de Nhamundá – AM. Saúde E Meio Ambiente: Revista Interdisciplinar, 9, 43-52. https://doi.org/10.24302/sma.v9i0.2155

Edição

Seção

Artigos