Detecção sorológica de anticorpos anti-Leishmania infantum chagasi em cães atendidos em hospital veterinário escola

  • Daniela Pedrassani Universidade do Contestado https://orcid.org/0000-0001-6283-4981
  • Djalmo Gervásio Rodrigues Universidade do Contestado
  • Rubiana Carvalho dos Santos Universidade do Contestado
  • Amanda Pedrassani Andrejow Pontifícia Universidade Católica do Paraná
  • Fabiano Borges Figueiredo Fiocruz Paraná

Resumo

A leishmaniose é uma zoonose que atualmente encontra-se entre as seis endemias consideradas prioritárias no mundo. No Brasil, a distribuição geográfica desta doença vem ampliando, tanto na população de cães, quanto na humana. O estado de Santa Catarina era considerado indene para leishmaniose visceral até 2010 quando foram descritos os primeiros casos autóctones em caninos na capital. Com base na recente detecção de casos no Estado, os objetivos deste trabalho foram determinar o percentual de cães soro reagentes na pesquisa de anticorpos anti-Leishmania infantum entre os atendidos no hospital veterinário da Universidade do Contestado, em Canoinhas, Santa Catarina e verificar o conhecimento dos tutores destes animais com relação a aspectos de transmissão, de diagnóstico e de profilaxia da leishmaniose visceral canina. Para tal, os animais foram submetidos a um exame físico e coleta de amostra de sangue sem anticoagulante, sendo o soro obtido por centrifugação. A detecção de anticorpos no soro foi pelos testes de ELISA indireto (SNAP Leishmania® Idexx) e imunocromatográfico (Dual Plate Platform - DPP® Biomanguinhos/Fiocruz). Simultaneamente os tutores respondiam a um questionário para determinar o perfil socioeconômico e o conhecimento sobre leishmaniose visceral. Dentre os 72 cães examinados entre junho a dezembro de 2016 nenhum foi reagente nos testes. Os animais atendidos residiam em diversas cidades da região norte de Santa Catarina, principalmente em Canoinhas e Três Barras e, até no sul do Paraná. Relativo aos tutores, a maioria relatou desconhecer sobre a existência da doença, sobre os meios pelos quais é transmitida e as suas consequências. Conclui-se que embora os animais testados não tenham sido reagentes, é necessária uma maior divulgação desta doença, pois atualmente é comum o trânsito de animais entre regiões, seja pelo comércio ou mudança de seus tutores. A leishmaniose é uma importante zoonose que vem se disseminando a cada dia, principalmente devido às dificuldades inerentes ao controle de seu vetor. Cabe aos médicos veterinários, de acordo com o conceito de saúde única, a busca ativa e precoce de casos e a divulgação de medidas profiláticas e de controle desta zoonose.

Palavras-Chave: Leishmaniose Visceral. Cães. Teste imunocromatográfico. Ensaio imunoenzimático.

Biografia do Autor

Daniela Pedrassani, Universidade do Contestado

Doutorado Medicina Veterinária Preventiva - UNESP/2009. Mestrado Ciências Veterinárias - UFPR/2001. Graduação em Medicina Veterinária - UFPR/1998. Professora do Depto de Medicina Veterinária/UnC Canoinhas.

Djalmo Gervásio Rodrigues, Universidade do Contestado

Graduando em Medicina Veterinária. Estagiário do Hospital Veterinário da Universidade do Contestado UnC. Universidade do Contestado (UnC). Canoinhas. Santa Catarina. Brasil.

Rubiana Carvalho dos Santos, Universidade do Contestado

Graduanda em Medicina Veterinária. Estagiário do Hospital Veterinário da Universidade do Contestado UnC. Universidade do Contestado (UnC). Canoinhas. Santa Catarina. Brasil.

Amanda Pedrassani Andrejow, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Graduanda em Medicina. Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Curitiba. Paraná. Brasil.

Fabiano Borges Figueiredo, Fiocruz Paraná

Doutor em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas INI FIOCRUZ. Pesquisador em Saúde Pública do Laboratório de Biologia Celular - Instituto Carlos Chagas. Curitiba. Paraná. Brasil.

Publicado
2019-08-12
Como Citar
Pedrassani, D., Rodrigues, D., Santos, R., Andrejow, A., & Figueiredo, F. (2019). Detecção sorológica de anticorpos anti-Leishmania infantum chagasi em cães atendidos em hospital veterinário escola. Saúde E Meio Ambiente: Revista Interdisciplinar, 8, 193-206. https://doi.org/10.24302/sma.v8i0.2148
Edição
Seção
Artigos