As periferias brasileiras como espaços de exceção: um genocídio cotidiano pela violência policial

Bruno Silveira Rigon, Leandro Ayres França

Resumo


A partir de dados publicados por relatórios nacionais e internacionais, e de testemunhos coletados em pesquisa com indivíduos aprisionados, o presente artigo expõe a violência das agências policiais brasileiras nas periferias urbanas, no contexto de redemocratização, e demonstra como tais regiões se qualificam como espaços de exceção, adequando-se ao modelo teórico de Giorgio Agamben.


Palavras-chave


Violência Policial. Genocídio. Periferias Brasileiras. Exceção. Vida Nua.

Texto completo:

PDF-A


DOI: http://dx.doi.org/10.24302/prof.v1i2.701

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSNe 2358-6125