Biopolítica e Direitos Humanos: Giorgio Agamben e uma antropolítica evanescente

Murilo Duarte Costa Corrêa

Resumo


O presente ensaio consiste em um breve esforço de elucidação da principal tese política de Giorgio Agamben sobre os direitos humanos. Avançando em seu argumento, no seio da relação polêmica que ele estabelece com a tradição hobbesiana da filosofia política, será possível compreender como Agamben prolongará sua crítica aos direitos humanos, em textos tardios, em uma antropolítica evanescente: uma política em que a componente humana torna-se alvo da exceção no seio das instituições jurídicas que deveriam protegê-lo.

Palavras-chave


Biopolítica. Direitos Humanos. Giorgio Agamben. Antropologia.

Texto completo:

PDF-A


DOI: http://dx.doi.org/10.24302/prof.v1i1.564

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSNe 2358-6125