O que pode um corpo? Espinosa e Deleuze, o desejo como produção

  • Sarah Bernadete de Carvalho Alcantara Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR)

Resumo

O tema deste artigo se concentra no conceito de "desejo" entendido como "produção". Este conceito é introduzido por Gilles Deleuze a partir de sua leitura do pensamento de Espinosa. Neste sentido, o presente estudo se volta justamente sobre a questão de Espinosa: “o que pode um Corpo?” Ou seja, qual a potência de um corpo? O pensar deleuziano transita transformando a relação entre sujeito e objeto, de tal forma que o conceito de desejo se liberta da falta como elemento central e necessário para começar a ser compreendido como um campo de produção. Assim sendo, a pesquisa analisa o deslocamento conceitual deleuziano que visa ir além da linguagem usual, focada na identidade do sujeito desejante, para estabelecer uma lógica em que o acontecimento atravessa e muda este próprio sujeito, onde o ser dá lugar ao devir e a relação com uma falta originária é substituída pelo campo de produção. Sob estes novos parâmetros conceituais, o trabalho expõe como com a filosofia de Deleuze é possível abandonar a noção de um sujeito atrelado à sua imagem no outro para começar a compreendê-lo como uma relação de multiplicidade produtora em si mesma. As questões a serem abordadas se desdobram da seguinte maneira: investigar quanto ao significado de Produção em Deleuze, fundamentar quanto à filosofia de Espinosa sobre a potência de agir e estabelecer a relação entre a filosofia da diferença de Deleuze e a filosofia Espinosiana, ambas construtoras de um conceito de desejo livre da representação e do negativismo.

Palavras-chave: Deleuze. Espinosa. Desejo. Produção.

Biografia do Autor

Sarah Bernadete de Carvalho Alcantara, Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR)

Doutoranda em Filosofia pela PUC/PR, Mestre em Filosofia pela PUCPR (2016), Professora do curso de Medicina da Universidade do Contestado, Mafra/SC, Brasil.

Publicado
2019-10-24
Como Citar
Alcantara, S. (2019). O que pode um corpo? Espinosa e Deleuze, o desejo como produção. Profanações, 6, 220-237. https://doi.org/10.24302/prof.v6i0.2437
Edição
Seção
Artigos