A vida nua na literatura de Dalcidio Jurandir: uma reflexão sobre os campos da Amazônia e os campos de Auschwitz

  • Viviane Moraes Universidade Federal do Pará
Palavras-chave: Campo. Vida nua. Amazônia

Resumo

O presente trabalho visa estabelecer uma discussão em nível comparativo sobre a ideia de campo, a partir da concepção desse conceito sobre o prisma de “nómos do moderno”, tal qual pensado por Giorgio Agamben ao refletir sobre os espaços de violência da contemporaneidade no eixo dos conceitos sobre o estado de Exceção e da vida nua, inspirados pelo pensamento de Walter Benjamin. Dentro da proposta, contemplaremos narrativas literárias de diferentes gêneros, os testemunhos do sobrevivente da Shoah, o judeu italiano Primo Levi e as narrativas de Dalcídio Jurandir, escritor paraense que retratou em suas dez obras, o chamado Ciclo do Extremo Norte, uma Amazônia em decadência e desmantelo, repleta de problemas socioeconômicos e culturais que resvalam para a constituição de uma espécie de campo, onde sobreviver torna-se imperativo.

Biografia do Autor

Viviane Moraes, Universidade Federal do Pará
Doutora em Estudos Literários pela Universidade Federal do Pará. Membro do grupo de pesquisa Narrares - Estudos de Narrativas de Resistência (Cnpq)
Publicado
2017-12-18
Como Citar
Moraes, V. (2017). A vida nua na literatura de Dalcidio Jurandir: uma reflexão sobre os campos da Amazônia e os campos de Auschwitz. Profanações, 4(2), 13-36. https://doi.org/10.24302/prof.v4i2.1548
Seção
Artigos