Incidência da perda urinária em mulheres no climatério

Autores

  • Daiane Frigo Universidade do Contestado
  • Carla Stefanello Zanon Universidade do Contestado - UnC

DOI:

https://doi.org/10.24302/agora.v18i1.317

Palavras-chave:

incontinência urinária, Mulheres, Climatério

Resumo

Pode-se definir a incontinência urinária de várias maneiras. A mais simples a define como o comprometimento dos mecanismos normais envolvidos na eliminação e no armazenamento de urina. A incontinência é um problema complexo, com múltiplas etiologias, algumas das quais permanecem pouco compreendidas. Do ponto de vista funcional, a incontinência é uma "incapacidade de enchimento" podendo ainda ser subclassificada em problemas de armazenamento vesicais e problemas de armazenamento devido ao esvaziamento. A incontinência urinária é um dos principais problemas que acomete as mulheres no período do climatério. Trata-se de afecção de grande impacto social, econômico e psicológico, sendo muitas vezes incapacitante. Objetivo: O objetivo deste trabalho foi verificar a incidência de perda urinaria em mulheres no climatério. Materiais e Métodos: Foi realizada uma pesquisa quantitativa, com 20 mulheres que estavam no período do climatério e que frequentavam a Unidade Sanitária Central de Concórdia-SC. Para cada mulher foi entregue um questionário contendo questões sobre a idade, peso, estado civil, se praticam atividade física, se possuem perda urinária e qual tipo de perda, menopausa e TRH. Conclusão: O estudo mostrou que 100% das mulheres apresentaram perda urinaria no período do climatério.

Biografia do Autor

Daiane Frigo, Universidade do Contestado

Acadêmica da 8ª fase do Curso de Fisioterapia- Universidade do Contestado – UnC

Carla Stefanello Zanon, Universidade do Contestado - UnC

Professora do Curso de Fisioterapia - Universidade do Contestado – UnC

Publicado

2013-04-15

Como Citar

Frigo, D., & Zanon, C. S. (2013). Incidência da perda urinária em mulheres no climatério. Ágora : Revista De divulgação científica, 18(1), 153-162. https://doi.org/10.24302/agora.v18i1.317

Edição

Seção

Artigos